Caminho da Funcionalidade no Sistema:

Estoques e NF-e > Recebimento de Mercadorias > Consultar Notas Fiscais Recebidas

Permissões de Usuário: MB__info

Número – Nome da Permissão

142 – Pedido Incluir

182 – Recebimento Consultar

187 – Recebimento Excluir

280 – Confirmação Recebimento Incluir

667 – Incluir carta de correção

836 – Alterar Status Recebimento

1080 – Alterar data de recebimento dentro do período parametrizado

1406 – Faturar Nota Fiscal

1426 – Alterar data de recebimento para qualquer data

1528 – Lançamento Conjugado em Operador Logístico

1812 – Preenchimento de Romaneio em Nota Fiscal com Carga

1841 – Receber Nota Fiscal de Fornecedor não habilitado na SEFAZ

1931 – Imprimir romaneio

1961 – Criar Pedido Baseado Na Nota Fiscal

1989 – Prosseguir com Recebimento ignorando percentuais máximos de Preço de Venda / Diferença de Custo

2279 – Criação de pedido baseado em nota fiscal bonificada

 

Nas operações de importação, a empresa que está realizando a importação dos produtos, deve emitir uma nota fiscal de compra de mercadorias de importação.

A emissão desta nota fiscal é necessária para acompanhar a circulação da mercadoria dentro do estado, visto que o fornecedor da mercadoria é Internacional e não emite uma nota fiscal de venda desses produtos.

Com isto, no sistema Bluesoft ERP será realizado duas operações de uma só vez (Emissão da nota fiscal e a Entrada desta no sistema).

Para utilizar, devemos seguir os seguintes passos:

 

1) Devemos acessar o módulo Estoques e NF-e > Recebimento de Mercadorias > Consultar Notas Fiscais Recebidas:

 


2) Para iniciar o processo de lançamento da nota fiscal de importação, devemos clicar sobre o botão INCLUIR:

 


3) Atualmente é possível escolher os seguintes CFOPs para importação de produtos:

  • 3.102 – Compra para comercialização
  • 3.551 – Operação de compra do ativo imobilizado – fora do país
  • 3.556 – Operação de compra de material de uso e consumo – fora do país

 


4) Após selecionar o CFOP é necessário selecionar a empresa que está exportando a mercadoria:

 

 


Vale lembrar, que neste combo Exportador, só serão exibidos os fornecedores internacionais:

 

 


5) Após preencher as informações da tela inicial, clique no botão PROSSEGUIR:

Na capa da nota fiscal de entrada, em Outras Despesas Acessórias, devem ser somados todos os impostos (inclusive o próprio ICMS) e despesas envolvidas na importação (exceto o IPI que já tem o seu próprio campo).

 


6) Nesse ponto é possível preencher informações sobre o transportadora. Após o preenchimento quando necessário, clique no botão PROSSEGUIR:


7) Visto que não existe uma nota fiscal emitida pelo exportador, os dados da nota fiscal deverão ser preenchidos com base na DI (Declaração de Importação – Documento gerado pelo despachante contratado).

Neste documento consta todas as informações necessárias para o lançamento. Para iniciar o preenchimento é necessário clicar em INCLUIR NOVA DECLARAÇÃO:

 


8) Após o preenchimento dos campos obrigatórios, o usuário deverá clicar em CONFIRMAR:

 


9) Para continuar o lançamento, clique em PROSSEGUIR:

 


10) Nesse ponto devemos vincular o pedido de compra criado para o item importado:

 


11) Após o vinculo do pedido, devemos clicar em PROSSEGUIR:


12) Na conferência dos itens da nota fiscal, devemos informar a base de calculo dos impostos, e os valores referentes ao imposto de importação, despesas aduaneiras e IOF em Declaração de Importação:

Na Declaração de Importação ao menos um dos campos (valor do imposto de importação, despesas aduaneiras e IOF) deve ter o valor maior que zero para prosseguir com o lançamento da nota fiscal.

Após preencher os dados da Declaração de Importação dos itens, clique em PROSSEGUIR.

No lançamento dos itens, em Despesas Tributadas, deve ser informado o valor correspondente à soma de todos os impostos (inclusive o próprio ICMS) e despesas que devem ser consideradas na base de cálculo do ICMS (exceto o IPI que já tem o seu próprio campo no lançamento). Deve ser desta forma pois, segundo a Decisão Normativa CAT Nº 6 DE 11/09/2015, a base de cálculo do ICMS relativo à importação, conforme previsto nos artigos 37, inciso IV e § 6º, do RICMS, deve ser o valor constante do documento de importação, acrescido do valor do Imposto de Importação, do IPI, bem como de quaisquer outros impostos, taxas, contribuições e demais despesas aduaneiras, ou seja, aquelas efetivamente pagas à repartição alfandegária até o momento do desembaraço da mercadoria, observando-se que o montante do ICMS deve integrar sua própria base de cálculo.

 

Importante

Para a criação do pedido de compra de forma correta, no cadastro dos produto ou patrimônio, a flag Importação Direta deve estar preenchida como SIM:

 

  • Produto:

 

 

  • Patrimônio:


13) Clicando em PROSSEGUIR o usuário será enviada a totalização da nota fiscal:

 


14) Devemos preencher os dados do Romaneio, e posteriormente clicar em PROSSEGUIR:

 


15) Clicando em PROSSEGUIR o usuário será enviado ao Preview do Faturamento da nota fiscal de compra para importação:

No final do lançamento, para emitir a nota fiscal de entrada, os valores que tem campo específico na nota fiscal eletrônica e que fazem parte do valor total da nota, isto é, Imposto de Importação, PIS, COFINS e ICMS, serão informados nas Informações Adicionais da nota e retirados do campo “Outras despesas acessórias”, em concordância com a Resposta à Consulta Nº 15098/2017 de 22/05/2017 que diz que, no campo “Outras Despesas acessórias”, deverá constar as demais despesas aduaneiras que não possuem campo específico na NF-e e que fazem parte da base de cálculo do ICMS, nos termos do artigo 37, inciso IV e § 6º, do RICMS/2000, ou seja, as demais despesas aduaneiras efetivamente pagas à repartição alfandegária até o momento do desembaraço da mercadoria, tais como a taxa do SISCOMEX, o Adicional de Frete de Renovação da Marinha Mercante – AFRMM, diferenças de peso, classificação fiscal e multas por infrações.

16) Para concluir a operação devemos clicar em FATURAR NOTA FISCAL

Leave a Reply